A VIDA NADA MAIS É QUE UM JOGO

O intuito desse artigo é criar uma reflexão sobre o jogo da vida. É entendermos se somos os seres tão superiores que divulgamos ser, ou somos uma raça em evolução, e mais, com uma enorme necessidade de evolução. Sabemos que apesar de tudo, existem pessoas maravilhosas habitando nosso planeta, porém, sejamos conscientes, o número não é tão alto assim.

Sempre me pego observando a vida, as pessoas, sistemas econômicos, políticos, religiosos, estruturais, enfim, observo a vida como um todo. Após muito tempo fazendo tal exercício, entendi que a vida não passa de um jogo. Isso mesmo, um jogo, onde alguns ganham, outros perdem, todos ganham em algum momento e perdem em outro, e ainda, acabei por tirar uma conclusão desagradável: o ser humano não é tão superior como se acha.

Muito comum ao assistirmos alguns programas de televisão, observarmos o tamanho do sensacionalismo realizado em diversos assuntos que permeiam a existência humana, dentre os campeões temos a violência, corrupção e outros tipos de doenças humanas, como casos de assédio, preconceito, etc. Ao observar sem nenhum tipo de senso crítico, parece que o intuito dos programas é ajudar, mas na verdade existe muito por trás dessa ajuda. No caso da televisão, temos como principal a audiência, que tem como intuito a obtenção de lucros. Aqui já iniciamos um jogo, onde ninguém é vítima. De um lado, a tv que tem como opção reportar às pessoas diversas situações boas que acontecem pelo país e mundo, como pessoas que se destacaram por fazer algo bom, novas descobertas científicas sobre saúde, gestores públicos que são exemplo, fatos ocorridos que mudaram a vida de muitos, porém, ela não o faz. Certa vez, em conversa com um diretor da filial de uma grande tv, o questionei sobre isso, e ele me respondeu rapidamente que, “isso não dá Ibope”. Aí temos o outro lado do jogo.

Se no caso anterior observamos que fatos bons não despertam o interesse da população, isso quer dizer que as pessoas querem assistir coisas ruins. As pessoas gostam de dedicar seu tempo assistindo algo que deprecia a raça humana como um todo, e milhões de pessoas se prendem ali para julgar. Aí pergunto: As pessoas têm condições éticas e morais para julgar os outros mesmo? As pessoas gostam de ver coisas ruins para se colocarem ou terem uma sensação de “estarem por cima”? Ou de se sentir menos piores do que realmente são? Ao questionar de forma tão ríspida as ações humanas, parece que não gosto das pessoas, mas não é isso. O que tira qualquer um do sério é o nível de hipocrisia que domina as pessoas. Se coloquei na minha cabeça que o político tal é bom e ele não ganhou a eleição, vamos destruir o que venceu, independente do que ele esteja fazendo. Onde está a democracia? Não deveria ter fiscalização e apoio ao desenvolvimento? Se um país está em situação desfavorável e o funcionário público que ganha mais que 98% dos empresários, não consegue abrir mão de um aumento, onde está o problema? A maioria da população vive com um salário mínimo, a renda (quando existe) da maioria dos empresários que pagam uma fortuna de impostos, está na média de 5 salários mínimos, enfim, o que justifica um servidor público (no Brasil, milhões de servidores) ganharem cerca de 30 salários mínimos e ainda fazer greve?

Os exemplos da última descrição de fato, são bem voltados ao Brasil e países pares, porém, se aplica ao mundo todo. Pois, o jogo não acaba. Em países que tem qualidade de vida e uma gestão quase impecável, os crimes são punidos severamente, então, se assim ocorre, é porque existe crime, se existe crime, o mesmo é cometido por pessoas, então, onde o ser humano é tão maravilhoso e vítima como prega? Se alguns denunciam a indústria das multas de trânsito, também sabemos que não existiria tais dispositivos se as pessoas não ultrapassassem a velocidade. Países gastam uma fortuna inimaginável em órgãos de controle como polícias, agências fiscalizadoras e afins. Se o ser humano fosse honesto, haveria tanta necessidade de controle?

Complexo falar da nossa raça desse jeito, mas precisamos repensar a prática todo dia e criar filhos melhores, e nos tronarmos pessoas melhores. Não podemos jogar o jogo da maioria, precisamos buscar pela excelência e sairmos da média. Se todos fizessem essa busca, o nível subiria e aí sim, a evolução humana seria algo real. O ser humano é algo maravilhoso, uma divindade, um ser muito evoluído, porém, não é tão assim, pois nesse jogo, uma boa parcela é muito ruim. Abaixo alguns dados da Global Financial Integrity (GFI) sobre as cinco atividades criminosas que mais rendem dinheiro no mundo, e assim ficou:
1º Narcotráfico: US$ 320 bilhões
2º Falsificação: US$ 250 bilhões
3º Tráfico humano: US$ 31,6 bilhões
4º Tráfico ilegal de petróleo: US$ 10,8 bilhões
5º Tráfico de vida selvagem: US$ 10 bilhões

Me envergonha demais ter que comentar sobre isso, mas aí está uma das realidades do nosso mundo. Em reais, temos essas 5 atividades movimentando quase 2.5 trilhões, isso mesmo. É dinheiro que possibilitaria o mundo ser muito melhor. Aí o povo julgador olha e aponta seus “belos” dedos e diz: tem que colocar esses bandidos na cadeia até apodrecerem”. Sinceramente, isso é uma das melhores piadas que ouço sempre. Se existe tanto tráfico de drogas é porque existem milhões de pessoas que consomem tais drogas, e essas pessoas estão em todos os lugares. Se existe tanto dinheiro na falsificação, é porque milhões de pessoas compram diplomas, documentos, dentre outros. O terceiro tópico é um “sanatório”, mas sim, o ser humano ainda vende outro ser humano para finalidades sexuais, escravidão, utilização de seus órgãos, etc. E os demais, é dinheiro pelo dinheiro, pessoas compram animais selvagens para ter o prazer em aprecia-los e o petróleo, que é uma fonte de energia das mais valiosas do mundo. Daí pergunto: quantos milhões de pessoas (seres humanos) são necessários para fazer essa roda girar?

Enfim, existem pessoas boas, trabalhando, educando seus filhos da melhor forma, pesquisando, buscando formas de construirmos um mundo melhor, executando com perfeição seu trabalho, dentre outras ações. E ainda, buscando a felicidade, a felicidade para viver nesse planeta. Não foi o intuito trazer as maravilhas da vida nesse artigo, e nem foi possível dissertar sobre tudo de ruim que o ser humano é capaz de fazer. Espero que o artigo tenha trazido uma reflexão sobre o jogo da vida e principalmente, deixado bem claro a necessidade de ganharmos esse jogo contra tudo de ruim que nos rodeia. O ser humano é sim poderoso, mas precisa tomar a atitude de viver sobre a regra inegociável que é, NUNCA PREJUDICAR OUTRO SER HUMANO.

Sylvio da Silva Araujo Junior

Empresário, Coach, Mentor de Negócios

Diretor do Grupo SSX Gestão e Negócios

Sites: www.ssxgestao.com

www.sylvioaraujo.com

insta: @sylvio_araujo

@mentemestra.oficial

Digite seu e-mail e seja notificado a cada novo post:

Formulário de contato

Envie dúvidas, sugestões e críticas:

Contato

Preencha o formulário ou deixe sua mensagem nas redes sociais:

logo sigla sa png (1)

Copyright 2019 ©
All Rights Reserved